Você está em > Pellon & Associados Advocacia > Clipping BR > Zurich dá dicas para o gerenciamento de riscos das frotas de automóveis
08/06/2022 | Fonte: SONHO SEGURO

Zurich dá dicas para o gerenciamento de riscos das frotas de automóveis

Iniciativas preventivas e de educação junto aos motoristas, além do uso racional da tecnologia, podem reduzir os riscos e custos das empresas

Fonte: Zurich

Diversas empresas possuem frotas de automóveis, sejam para uso próprio, aluguel ou serviços terceirizados. Independente de qual for a utilização, todas as companhias querem ter o melhor gerenciamento possível para evitar qualquer tipo de problema. Além dos cuidados mais comuns, como por exemplo a realização de revisões recorrentes nos automóveis, é importante que as empresas que possuem frotas façam um gerenciamento de risco eficaz.

“Sabemos que revisões automotivas são extremamente importantes, mas ter uma atitude preventiva de riscos é a melhor forma de evitar dores de cabeça. Uma empresa que possui uma frota, seja composta por muitos ou poucos veículos, precisa sempre ter isso em mente”, adverte o engenheiro Tiago Santana, gerente do time de Engenharia de Riscos da Seguradora Zurich.

Uma das principais dicas do profissional para quem procura métodos de prevenção é a tecnologia. Nesse sentido, um recurso muito eficaz é a telemetria, cujo principal benefício é prover informações sobre como os veículos da frota têm sido conduzidos, verificando assim o cuidado e a segurança com que cada motorista realiza seus trajetos.

Além disso, pode ajudar em casos de sinistro (evento com prejuízos materiais, como um acidente), já que auxilia na análise do ocorrido como também em determinar quem foi o responsável por ele. Tais informações podem ficar disponíveis em aplicativos de celular e, de acordo com Tiago, têm um valor de investimento pequeno, se comparado ao seu benefício em redução de custo e aumento de segurança nas operações da empresa.

Outro recurso são as câmeras de bordo ou dash-cams. “Imagine que, num caso de colisão, a empresa seja acionada judicialmente por terceiros. Como todo o acidente foi registrado pelo dispositivo, o recurso simplifica, por exemplo, a comprovação da inocência do seu motorista, contribuindo para a rapidez e agilidade de todo o processo”, explica.

Mas além da tecnologia, Tiago destaca outra forma que contribui para que empresas possam melhor gerir suas frotas: o sistema de coparticipação ou de franquia do seguro dos funcionários, caso tenham sido os causadores dos sinistros. De acordo com ele, o modelo funciona como um incentivo para que os colaboradores cuidem melhor dos veículos e tenham comportamentos mais responsáveis nas estradas.

Contudo, o especialista observa: “Ainda que haja diversas formas para proteger frotas, é importante seguir fazendo o básico quando falamos de um bom gerenciamento: manter os motoristas treinados, realizar constantes checagens nos veículos e manter os funcionários a par dos procedimentos em caso de ocorrências”.

Como aperfeiçoar a segurança das frotas?

Em 2014, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) publicou um estudo estatístico que apontou que acidentes de trânsito causam mais mortes do que o câncer no território nacional. Por isso, é necessário que empresas adotem modelos de trabalho que prezem pela segurança dos motoristas e dos veículos.

Aperfeiçoar a segurança das frotas exige medidas que podem ser adotadas facilmente por qualquer empresa. Veja as dicas:

  1. Desenvolva políticas corporativas para abolir a utilização de mensagens de texto e conversas ao telefone durante a direção.
  2. Incentive os funcionários a ativarem o recurso “Não Perturbe” em seus telefones, no mesmo momento em que colocam os cintos de segurança. Esse recurso pode reduzir a tentação dos motoristas em verificar e responder a mensagens, e-mails e outras distrações enquanto dirigem.
  3. Planeje-se para as necessidades de comunicação, como audioconferências e chamadas telefônicas, mensagens e e-mails apenas quando os motoristas não estiverem dirigindo.
  4. Faça a programação do GPS, caso necessário, com o veículo ainda parado antes de iniciar cada viagem, evitando manusear o dispositivo e conduzir o veículo simultaneamente.
  5. Nunca atenda uma ligação durante a condução de um veículo, mas caso seja necessário responder a uma ligação importante, procure um local adequado e seguro para parar o veículo e posteriormente retornar a chamada.

Compartilhe

© 2022 Copyright Pellon & Associados